Pagar tarefas aos filhos?

Deverão os pais pagar ou não aos filhos para executarem tarefas em casa?

Muitos pais confessam que a única forma de conseguirem que os filhos adolescentes façam a cama todas as manhãs é pagando. De acordo com especialistas em Psicologia, não faz qualquer sentido pagar a uma criança ou a um jovem para que ele faça algo que é suposto fazer. Tal só lhe ensina que tudo pode ser resolvido financeiramente e, obviamente, 
que a execução da tarefa é sempre opcional – já que o pagamento pode ser recusado – e que quanto maior o esforço maior deverá ser a recompensa material. «Se a criança é paga para agir da forma correta, isso apenas significa que ela consegue ser subornada e não que foi convencida pela razão», explica o pediatra Paulo Oom. O raciocínio deverá ser exatamente o oposto.
 
Desde cedo, como a entrada no 1º ano, por exemplo, a criança deve receber uma semanada ou uma mesada. «Nada extravagante, apenas simbólica, no início, e capaz de satisfazer alguns pequenos caprichos à medida que a criança cresce», afirma o pediatra. Esse dinheiro deve ser entendido pela criança como útil para a sua independência, já que poderá comprar o que quiser, desde que não vá contra as regras estipuladas pelos pais.
 
Nunca deve ser paga uma retribuição pelas pequenas tarefas que são devidas à criança ou ao jovem, tais como fazer a cama, arrumar o quarto, ajudar a lavar a loiça, ajudar a estender a roupa ou tomar conta dos irmãos mais novos. Estas são tarefas comuns a todos os membros da família.
 
Da mesma forma, os pais não devem pagar aos filhos por terem aproveitamento escolar. Estudar e ter boas notas são obrigações das crianças e dos adolescentes. Contudo, no final de um ano escolar excecionalmente bom, os pais poderão oferecer um presente aos filhos; mas nunca sob a forma de dinheiro.
 
Obviamente que serviços «extra» podem ser pagos. Ajudar a carregar lenha para a garagem ou ficar em casa a servir de babysitter enquanto os pais vão jantar fora pode envolver alguma recompensa material. «Como regra, podemos pagar aos nossos filhos aquilo que é excecional e que iríamos pagar a outros para fazerem», remata Paulo Oom.

(Ainda nos "serviços extra", não acho que se deva fazer qualquer pagamento, penso também, que devemos ter bom senso, quanto as tarefas que incumbimos aos nossos filhos, tendo em conta as suas idades e reais responsabilidades)
 
Regras de ouro
• Desde cedo devemos explicar à criança a importância relativa do dinheiro.
• A criança deve receber regularmente uma semanada ou mesada.
• Pagar para executar tarefas de rotina não deve ser uma opção.
• Podemos pagar para a criança executar tarefas excecionais e que teríamos de pagar a outros para as realizarem.
• Nunca pagar por boas notas.
 
 
Maria João Pratt
 
Fonte: Não te volto a dizer!, de Paulo Oom.

1 comentário:

  1. Conheço que o faça, eu nunca o considerei como opção. Uma mesada ou semanada é uma coisa, dinheiro como forma de pagamento por uma tarefa executada, não. Na família TODOS têm direitos e deveres. À mãe também ninguém lhe paga pela roupa engomada...

    Beijinhos

    ResponderEliminar

Bem Vindo!